sexta-feira, 2 de novembro de 2012

guardiãs


8 comentários:

Helena disse...

Quando a palavra é mais do que a legenda da imagem. Faz parte dela. Gosto muito.

Noemí Padrón disse...

Bonita captura, con el desaturdo te ha quedado genial...preciosos guardias...Los mejores...

Un abrazo

noemí

Remus disse...

... Mas temos que concordar que são umas guardiãs de poucas palavras e de pouco movimento.
:-)

Estive aqui a fazer um crop mental à fotografia, e pergunto se ela não ficaria melhor sem as "cabeças" dos arbustos que aparecem em baixo?
Eu estou inclinado para dizer que sim.
Mas fico a aguardar outras opiniões.
;-)

Everson Oliveira disse...

Muito boa a fotografia :D

seguindo seu blog

http://www.eversonoliveiraf.com

Rute disse...

Um belíssimo P&B, onde os contrastes estão perfeitos. Deliciosas ruínas que já só servem para encantar a nossa vista e mexer com os nossos sentidos...Adorei, no fundo é isso;)

* Estou tentada a concordar com o Remus, penso que as ruínas e as árvores agigantar-se-iam o que tornaria a imagem ainda mais intensa. Isto é só a minha modestíssima opinião, já que o mestre és tu;)

1 bj

João Menéres disse...

MARCO : Segui a linha de pensamento estético do REMUS.
Concordo com ele ( e tornaria a imagem mais misteriosa...).

Belo título !

Gostava de saber, por mera curiosidade onde é, pois não me lembro de ter passado por nada assim.

Um abraço.

Marco C. disse...

pronto, em minha defesa posso dizer q esta foto não tem outro angulo possivel de se fotografar (pelo menos sem entrar em propriedade privada). Se desse mais zoom p cortar os tais arbustos, cortava da imagem parte das árvores, se fizesse um crop na foto, seria em demasia p que os arbustos desaparecessem, por isso msm ficou assim. O João não conhce esta "paisagem" tlvz pq não fica em nenhum roteiro turistico. Fica perdida no meio de um zona habitacional na freguesia do Livramento (Ponta Delgada). Abraços!

João Menéres disse...

Pois não conheço, mesmo tendo andado em muitos locais fora dos ditos roteiros turísicos.

Obrigado, meu caro Marco.