sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

Da minha janela eu vejo

Um dia cinzento,
Em que mal me aguento

Mas prossigo, ainda que sem alento,
Porque sou eu que me sustento

É este o meu tormento
Uma vida sem sentimento

Roçando o sofrimento,
Um dia, não hoje, chegará o meu julgamento

(autor desconhecido)

4 comentários:

cherrychoise disse...

Lindo :)

Rute disse...

Muito bonita, as gotas parecem as folhas da árvore.

1 bj

Questiuncas disse...

O autor desconhecido está muito negativo, tem de ver muitas fotografias do Marco e restante companhia para se animar.
Quanto à fotografia, só posso assinar por baixo a que a Rute tão bem escreveu.

Remus disse...


Para além de fotografar, mas bem fotografar, florzinhas, agora também deu-lhe para escrever/publicar poemas. O "Marquito" está a sair-me uma rica "flor de estufa"... Está a ficar mole...
:-D :-D

Esta fotografia, por si só, é pura poesia.
Ficou excelente, pelo menos na minha modesta opinião.